• Guia

Crédito Simples Banrisul ultrapassa R$ 100 milhões liberados para micro e pequenas empresas

O Crédito Simples Banrisul ultrapassa a marca dos R$ 100 milhões em empréstimos concedidos. O programa, que oferece recursos para movimentar a economia gaúcha, entra no sexto mês de operação. Nesse período, foram assinados 9,2 mil contratos.

 

Na superintendência da região Fronteira do banco, que abrange Alegrete, Cruz Alta, Rosário do Sul, Santa Maria, Santiago, São Borja, São Luiz Gonzaga, São Sepé, Quaraí e Uruguaiana, entre outros municípios, o programa concedeu quase R$ 13 milhões em financiamentos.

 

Os recursos vão impulsionar o crescimento de micro e pequenas empresas com faturamento médio mensal de até R$ 300 mil. O segmento forma um dos principais pilares da economia, responsável por um terço do PIB gaúcho e mais da metade dos empregos formais.

 

Na superintendência Fronteira, 1,3 mil empresas já utilizam o produto. Santa Maria é o munícipio com o maior volume financiado: foram contratados R$ 4 milhões, distribuídos em sete agências. Depois estão em destaque Alegrete e Uruguaiana, cada um com R$ 1,1 milhão. Destaque também para São Borja, com R$ 585 mil, e São Gabriel, R$ 480 mil.

Fonte: Banrisul

 

Votação da Consulta Popular começa nesta terça-feira

 

Inicia nesta terça-feira dia 26 de junho, a votação da Consulta Popular e segue até dia 28. A Prefeitura fará busca por votos na comunidade, especificamente na terça e na quarta-feira por meio do sistema off-line, via celulares e tablets.

 

No endereço eletrônico www.consultapopular.rs.gov.br a votação pode acontecer até quinta-feira. São Borja precisa da participação de 4% do eleitorado, o que corresponde a cerca de 2 mil votos. O segundo requisito é a participação em cada projeto, o cidadão tem direito a votar em apenas uma demanda.

 

A cédula de votação contém 10 projetos divididos em áreas como saúde, apoio à agricultura familiar, turismo, segurança pública, fortalecimento dos conselhos municipais das pessoas deficientes e outras.

 

O processo até a votação se desenvolve por vários meses e tem a participação dos conselhos regionais e municipais de desenvolvimento, prefeituras e organizações públicas e privadas. Em nível de governo, a Consulta Popular é coordenada pela Secretaria de Planejamento.

 

Por: Larissa Silva 

Mais duas empresas podem investir na cidade

Depois da empresa Dufry recentemente, na última semana outras duas empresas de grande porte manifestaram interesse em investir em São Borja, conforme informa a Prefeitura. Nos próximos meses, a empresa Letsara Transportes e Logística, referência no Mercosul e no país, pretende também instalar uma filial junto à Plataforma Logística, acesso da Ponte da Integração. Depois de contatos anteriores, na última sexta-feira, dia 25, o prefeito Eduardo Bonotto recebeu uma carta de intenções sinalizando o interesse da empresa em ocupar uma área do projeto.

 

A rede de lojas Havan, com matriz em Santa Catarina e unidades espalhadas pelo país, especialmente na Região Sul, também reafirmou a intenção de instalar unidade de vendas também em São Borja. A decisão é por firmar a expansão de atividades no Rio Grande do Sul, de forma gradativa a partir deste ano, e São Borja está nos planos para 2019.

 

No último final de semana, o diretor de Expansão da Havan, Nilton Havan, se encontrou com o prefeito Eduardo Bonotto, na cidade, para prospectar futuros investimentos. O Prefeito avalia ambos os interesses e acredita na confirmação destes investimentos já nos próximos meses.

 

São Borja elegeu delegados para Consulta Popular

O Corede/FO e o Comude realizaram na quinta-feira, dia 24, a assemblei municipal que elegeu delegados à Consulta Popular 2018/2019. Durante a assembleia foram eleitos cinco delegados, que estarão em Alegrete dia 5 de junho para definição das demandas na cédula de votação.

 

A cédula constará demandas dos 13 municípios da Fronteira Oeste e as mais votadas nos dias 26, 27 e 28 de junho, serão incluídos no Orçamento do Estado do ano que vem.

 

No encontro realizado na Câmara ficaram definidos cinco projetos que estão distribuídos nas áreas da segurança, saúde, turismo, agricultura familiar e infraestrutura. Em Alegrete, os representantes de São Borja tentarão entrar em acordo com os outros municípios sobre os projetos que irão a votação. A região terá direito a R$ 3,6 milhões dos R$ 80 milhões destinados pelo governo para a Consulta Popular 2018/2019.

Fonte: Decom/Prefeitura

Por Edson Arce

Exatoria Estadual não será fechada no município

A agência da Exatoria Estadual de São Borja não será fechada a partir de 4 de junho, como chegou a ser veiculado na cidade. A notícia positiva foi dada esta semana pelo presidente do Sindilojas e vice-presidente da Fecomércio-RS, Ibrahim Mahmud. O secretário da Fazenda, Luiz Antônio Bins, foi quem deu a informação a Mahmud durante contato telefônico na quarta-feira, dia 23.

 

O dirigente lojista destaca que a informação é importante para o município, pois é a Exatoria Estadual que controla o recolhimento de ICMS e representa também na cidade a Secretaria Estadual da Fazenda. “Já havia sobre o assunto com o secretário Bins há alguns dias em Porto Alegre, mas devido à preocupação que existia no município, resolvi ligar para ele e confirmar a permanência do órgão”, ressaltou Ibrahim Mahmud. Ele destacou que também havia pedido apoio ao ex-deputado estadual Ibsen Pinheiro, que é são-borjense.

Instalação de free shops no RS deve ocorrer nos próximos meses

Em poucos meses, os gaúchos não devem mais precisar ir até o Uruguai para adquirirem produtos importados nos free shops com um preço mais em conta. A instalação dessas lojas com produtos livres de impostos já está autorizada no país.

O funcionamento dos free shops é algo muito esperado, já que promete gerar emprego e renda. O assunto é debatido há seis anos. Das 11 cidades gaúchas que poderão ter essas lojas, cinco são da Fronteira Oeste.

Atualmente, os uruguaios são proibidos por lei de comprarem nos free shops. Mas, do lado brasileiro eles são bem-vindos e terão uma cota mensal de US$ 300.

A principal diferença da lei brasileira para a uruguaia é que não são só os estrangeiros que poderão gastar nos free shops. Todos os brasileiros também estão autorizados, desde que respeitam a mesma cota.

Fonte: G1

Expediente

Andres Editora Jornalística Ltda.
Rua General Osório, 2341/Sala 1 - Centro São Borja,RS - 97670-000

Fones: (55)3431-1100 / 3431-2394
Email: [email protected]

assinatura