Crédito emergencial para pessoas atingidas pela enchente está disponível em São Borja

O Banrisul anunciou no final da última semana a abertura de linhas de crédito emergenciais para pessoas físicas e jurídicas e produtores rurais que tiveram suas residências ou negócios atingidos pelas enchentes que acontecem no estado.

Clientes atuais ou novos podem solicitar crédito pessoal ou para compra de material de construção. Já para micro e pequenas empresas que registraram danos ou prejuízos em seus estabelecimentos comerciais, industriais ou de agronegócios, têm acesso à modalidade de crédito empresarial Emergencial, destinada para capital de giro.

As linhas de crédito possuem condições diferenciadas, com prazo para pagamento de até 36 meses, sendo que as pessoas físicas têm um período de até três meses para pagamento da primeira parcela e as pessoas jurídicas de até seis meses de carência.

Os interessados podem procurar as agências ou postos bancários do Banrisul nos municípios que estão em situação de emergência. Em São Borja, como a cidade foi incluída no decreto de emergência do governo do estado, as pessoas prejudicadas pela enchente podem solicitar esse crédito na agência local do Banrisul.

Segundo o gerente de contas de pessoas jurídicas, Gustavo Bernardes, a procura ainda está em baixa na cidade. A expectativa é que nessa semana seja ampliada a demanda, a partir do momento que mais detalhes forem colocados a disposição da comunidade.

O valor de cada crédito é definido após uma avaliação que é realizada por equipes do Banrisul, diretamente nas residências ou negócios atingidos pela enchente.

Sindicato pode paralisar atividades a qualquer momento

O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação em São Borja intensifica mobilização, iniciada há algumas semanas, com a perspectiva de possível deflagração de greve.

O argumento é de que o sindicato patronal estaria complicando as negociações, tendo até ameaçado retirar os direitos dos funcionários para assegurar algum ganho real.

A intenção é criar dois pisos salariais para a categoria, o que é inaceitável, segundo o presidente do sindicato operário, Hugo Chimenes.

A pauta de reivindicações pede manutenção das chamadas cláusulas sociais, ganho de 5% no salário e piso de R$ 1,3 mil reais.

Impasses semelhantes vêm ocorrendo em Itaqui, onde já houve paralisação de trabalhadores na última semana.

Inscrições abertas para curso de Pecuária

O Sindicato Rural em São Borja está com inscrições abertas para o curso de Atualidade de Pecuária de Corte, iniciativa da Comissão de Jovens Produtores na cidade.

O curso acontece de 15 de agosto a 31 de outubro, com aulas sempre aos sábados. O custo por participante é de R$ 1,2 mil, podendo ser parcelado em até 4 vezes.

Mais informações podem ser solicitadas na secretaria do Sindicato Rural, ou pelo telefone.

Enchente do Uruguai prejudica a produção de arroz

As chuvas e instabilidades do clima nos últimos dias só vêm aumentando a preocupação dos produtores de arroz, em relação à preparação e implantação da futura lavoura.

O preparo do solo se mantém em 25%, já que desde a semana passada o trabalho está parado, segundo o técnico do Instituto Rio-grandense do Arroz (Irga), Luciano Alegre.

Existem ainda os problemas da enchente do Rio Uruguai e afluentes, que inundou mais de 6 mil hectares destinados as lavouras.

O Irga considera que o período de chuvas mais intensas, provocadas pelo El Niño, ocorra em agosto e setembro, e a previsão de que São Borja repita o plantio de 48 mil hectares de arroz não está descartado.

Gasolina chega a R$ 3,45 em São Borja

O aumento dos combustíveis em todo o País está valendo desde 1º de fevereiro. O reajuste ficou em 0,22% por litro de combustível.

Na última suba, os valores em São Borja ficaram entre R$ 3,45 e R$ 3,55, ou seja, um aumento de R$ 0,30 a R$ 0,40. Fizemos um novo levantamento para saber como andam os preços cinco meses depois da correção.

A gasolina comum está sendo vendida de R$ 3,39 a R$ R$ 3,45, totalizando uma diferença de até R$ 0,06 de um posto a outro. Já a Gasolina aditivada é comercializada entre R$ 3,42 a R$ 3,49. O valor do álcool varia de R$ 2,59 a R$ 2,69.

Em Porto Alegre é possível encontrar o combustível por R$ 2,99, mas de acordo com o Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes no Rio Grande do Sul (Sulpetro) como São Borja fica distante das refinarias o valor do transporte é acrescido, fazendo com que o produto não possa ser comercializado por um preço mais baixo.

Estacionamento rotativo não está sendo cobrado em alguns pontos da cidade

Desde a segunda-feira (6) e, provavelmente, ao longo da semana o Estacionamento Rotativo não estará sendo cobrado na Rua Aparício Mariense entre as ruas Cândido Falcão e Félix da Cunha. O motivo é a dispensa de dois monitores e a necessidade de novas contratações pela empresa concessionária do serviço, a CWF.

Atualmente, 18 monitores estão em atividade e a previsão é que sejam contratados mais quatro, permitindo também a ampliação do número de vagas de estacionamento na área central da cidade. A empresa CWF também prevê a ampliação do número de vagas de estacionamento, provavelmente já atingindo, este mês, as 700 que estão autorizadas em lei municipal.

Expediente

Andres Editora Jornalística Ltda.
Rua General Osório, 2341/Sala 1 - Centro São Borja,RS - 97670-000

Fones: (55)3431-1100 / 3431-2394
Email: [email protected]

assinatura