Governo desiste de adiar horário de verão e mantém para o próximo dia 4

O governo decidiu manter para o dia 4 de novembro o início do horário de verão, de acordo com informações da assessoria da Presidência, confirmadas nesta segunda-feira, dia 15 de outubro. Não haverá, portanto, adiamento para o dia 18 de novembro, como havia sido comunicado pelo Palácio do Planalto no início deste mês.

A mudança havia sido pedida pelo Ministério da Educação para evitar prejuízos aos estudantes, já que a primeira prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) está marcada justamente para o dia 4 de novembro. O argumento é que a necessidade de adiantar os relógios em uma hora pode confundir os candidatos. O pedido foi avaliado, porém, não foi possível atender à demanda.

HORÁRIO DE VERÃO MAIS CURTO

Em dezembro de 2017, o presidente Michel Temer assinou decreto que encurtou o período de duração do horário de verão, que em geral começava no mês de outubro.

Na oportunidade, Temer atendeu a pedido do Tribunal Superior Eleitoral, para que o início do horário de verão não coincidisse com a data das eleições – o primeiro turno foi no último dia 7 e o segundo está marcado para o próximo dia 28.

O governo manteve como data final do horário de verão no terceiro domingo de fevereiro de 2019, dia 17.

Fonte: Veja

Prazo para sacar o PIS/Pasep termina amanhã

Quem tem menos de 60 anos tem até amanhã, sexta-feira, 28 de setembro, para fazer o saque das cotas do PIS/Pasep, depois desse prazo o valor só ficará disponível caso o cotista se aposente ou complete 60 anos. Segundo o Ministério do Planejamento 5,2 milhões de brasileiros ainda não retiraram o dinheiro.

 

Quem não recebeu o dinheiro automaticamente e trabalha no setor privado, deve procurar uma agência da Caixa Econômica Federal para sacar o valor, já os funcionários públicos devem procurar uma agência do Banco do Brasil.

 

Por: Jean Azambuja

Fonte: Exame/Abril

RGE Sul investe R$ 2,7 milhões na rede elétrica de São Borja

A RGE Sul investiu R$ 2,7 milhões na modernização da rede elétrica na cidade, da quantia voltada R$ 1,7 milhões foram aplicadas em obras de adequação e reformas de redesubstituições de postes, troca de transformadores, manutenção de reguladores de tensão e substituição de condutores. Outros R$ 873,3 mil foram investidos em tecnologia para otimizar os custos operacionais.

 

A concessionária direcionou ainda R$ 657 mil para novas ligações urbanas e rurais, substituição de medidores e reforma de rede e mais R$ 337 mil em melhoramentos para suportar e atender a demanda de energia.

 

As melhorias beneficiarão os 23,3 mil clientes da cidade, de janeiro a junho deste ano a distribuidora do Grupo CPFL trabalhou de forma incessante na rede elétrica do município, um dos mais antigos do Rio Grande do Sul.

 Fonte: Intelog

Por Letícia Dorneles

Seminário Regional para a discussão da implantação de energia solar acontece nesta sexta-feira

Implantação de Energia Solar será discutida em seminário regional nesta sexta-feira, dia 17 de agosto, na Câmara de Vereadores em São Borja, a partir das 14h30min, o seminário regional de iniciativa da administração municipal, visa discutir à implantação de sistemas de geração de energia solar.

 

Um comitê instituído na Prefeitura fez estudos, a pedido do prefeito Eduardo Bonotto, e concluiu pela viabilidade de ativação de investimentos no setor. O seminário reunirá prefeitos, secretários e outros gestores dos 13 municípios da Fronteira Oeste para juntos também avaliarem possíveis investimentos. A comunidade em São Borja também é convidada a participar do evento. 

 

O presidente do comitê na Prefeitura João Carlos Reolon, optou pela instalação, inicialmente, de sistema com capacidade de geração de um megawatt de energia. Esse volume será suficiente para atender à demanda energética de todos os prédios municipais, inclusive as escolas.

 

Uma economia de R$ 700 mil é prevista para o primeiro ano, mesmo com o pagamento do financiamento que será contratado, a longo prazo, a estimativa é que a economia seja de R$ 15 milhões. O encerramento do seminário será destinado à formulação de perguntas e troca de informações.

Fonte: Decom/Prefeitura

Por Letícia Dorneles

Crédito Simples Banrisul ultrapassa R$ 100 milhões liberados para micro e pequenas empresas

O Crédito Simples Banrisul ultrapassa a marca dos R$ 100 milhões em empréstimos concedidos. O programa, que oferece recursos para movimentar a economia gaúcha, entra no sexto mês de operação. Nesse período, foram assinados 9,2 mil contratos.

 

Na superintendência da região Fronteira do banco, que abrange Alegrete, Cruz Alta, Rosário do Sul, Santa Maria, Santiago, São Borja, São Luiz Gonzaga, São Sepé, Quaraí e Uruguaiana, entre outros municípios, o programa concedeu quase R$ 13 milhões em financiamentos.

 

Os recursos vão impulsionar o crescimento de micro e pequenas empresas com faturamento médio mensal de até R$ 300 mil. O segmento forma um dos principais pilares da economia, responsável por um terço do PIB gaúcho e mais da metade dos empregos formais.

 

Na superintendência Fronteira, 1,3 mil empresas já utilizam o produto. Santa Maria é o munícipio com o maior volume financiado: foram contratados R$ 4 milhões, distribuídos em sete agências. Depois estão em destaque Alegrete e Uruguaiana, cada um com R$ 1,1 milhão. Destaque também para São Borja, com R$ 585 mil, e São Gabriel, R$ 480 mil.

Fonte: Banrisul

 

Votação da Consulta Popular começa nesta terça-feira

 

Inicia nesta terça-feira dia 26 de junho, a votação da Consulta Popular e segue até dia 28. A Prefeitura fará busca por votos na comunidade, especificamente na terça e na quarta-feira por meio do sistema off-line, via celulares e tablets.

 

No endereço eletrônico www.consultapopular.rs.gov.br a votação pode acontecer até quinta-feira. São Borja precisa da participação de 4% do eleitorado, o que corresponde a cerca de 2 mil votos. O segundo requisito é a participação em cada projeto, o cidadão tem direito a votar em apenas uma demanda.

 

A cédula de votação contém 10 projetos divididos em áreas como saúde, apoio à agricultura familiar, turismo, segurança pública, fortalecimento dos conselhos municipais das pessoas deficientes e outras.

 

O processo até a votação se desenvolve por vários meses e tem a participação dos conselhos regionais e municipais de desenvolvimento, prefeituras e organizações públicas e privadas. Em nível de governo, a Consulta Popular é coordenada pela Secretaria de Planejamento.

 

Por: Larissa Silva 

Expediente

Andres Editora Jornalística Ltda.
Rua General Osório, 2341/Sala 1 - Centro São Borja,RS - 97670-000

Fones: (55)3431-1100 / 3431-2394
Email: [email protected]

assinatura