Inflação afeta o bolso dos consumidores

Segundo o Instituto Brasileiro de Estatística e Geografia (IBGE), a inflação ficou 0,75% em março, acima dos 0,43% de fevereiro. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), teve esse aumento devido à alta dos preços de alimentos e combustíveis. É a 4ª alta seguida e maior taxa desde março de 2015, quando o índice foi de 1,32%. Nos três primeiros meses de 2019, a inflação se situou em 1,51%. Em abril, a inflação continuou alta, seguindo o mesmo índice de março.

 

Os alimentos e combustíveis puxam essa alta, isso porque a gasolina teve a maior impacto, com variação de 2,88% e o etanol subiu 7,02%. As passagens áreas também tiveram um aumento significativo, cerca de 7,29% mais caras. Mas o principal impacto foi nos alimentos e bebidas, estes que são os principais vilões da inflação, tiveram grande alta nos preços.

 

É possível observar esse aumento nos supermercados. Os alimentos mais caros são, o tomate cerca de 31,84%, repolho 29,67%, batata-inglesa com alta de 21,11%, feijões cariocas e preto, aumentaram 12,55% e as frutas mais caras foram a manga 22,25% e o mamão com 17,99%. Sendo assim, os consumidores estão cada vez mais afetados.

 

Se os alimentos e despesas pessoais puxaram a alta dos preços, o vestuário jogou a favor dos consumidores, reduzindo os preços em 1,36%. A maior queda foi em calçados e acessórios (-1,87%) e as roupas também contribuíram para segurar os preços (-1,7%).

Fonte: Gazeta

Por: Buna Falcão

Cerca de 80% dos brasileiros são prejudicados pelos planos econômicos

Quase um ano após a criação da plataforma virtual do poupador, direcionado ao atendimento aos brasileiros afetados pelos planos econômicos das décadas de 1980 e 1990. Sendo assim, os poupadores tem dificuldade de acessar as plataformas digitas, criadas pelos bancos.

 

Em maio do ano passado, os bancos resolveram criar uma nova plataforma digital para que os poupadores pudessem aderir ao acordo, que prevê a compensação de perdas com planos Bresser (1987), Verão (1989) e Collor 2 (1991). Este acordo previa que as adesões seriam realizadas em séries, conforme a idade dos poupadores. Vale ressaltar que, o limite de adesão ao acordo é de dois anos, ou seja, termina o ano que vem.

 

Alguns estão com dificuldade para ter o acesso a plataforma, devido a idade avançada. Segundo a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), até a metade de abril, 150.579 poupadores haviam se cadastrado na plataforma. Desse total, 31.602 receberam os valores devidos, 11.332 estão em análise pelos bancos e uma quantidade expressiva de poupadores iniciaram o cadastramento, mas não concluíram a adesão.

 

Os brasileiros que tiveram suas economias afetadas, reclamam diariamente, pois os bancos demoram para efetuar os pagamentos e a plataforma tem serias dificuldade no desenvolvimento.

Fonte: Estadão

Por: Bruna Falcão 

Bolsonaro informa pagamento do 13° salário do Bolsa Família

 

O presidente, Jair Bolsonaro, anunciou nesta quinta-feira, dia 11, a criação do 13° salário do programa Bolsa Família. Serão 13,9 milhões de famílias beneficiadas e o pagamento extra começará em dezembro de 2019, seguindo o calendário regular de repasses do programa.

 

Segundo o presidente, o dinheiro a ser repassado para as famílias, vem do combate a fraudes e repasses indevidos do programa social. O comunicado foi divulgado por meio, da sua conta no twitter. Vale ressaltar, que o programa atende às famílias com crianças ou adolescentes de 0 a 17 anos que vivem em um cenário de pobreza, ou seja, com renda per capita de até 89 mensais e 178 reais mensais.

 

Fonte:G1

Por: Bruna Falcão

Gasolina fecha em R$ 4,588 no primeiro trimestre do RS

A gasolina do Rio Grande do Sul é a 5ª mais cara do país. Nesse trimestre os gaúchos já pagaram R$ 4,588 por litro. Segundo Agência Nacional do Petróleo (ANP), o combustível acumulou avanço de 2% nos três primeiros meses do ano. Contudo, esse preço é o mais elevado em 16 semanas, ou seja, voltou ao nível apontado em dezembro de 2018.

 

A alíquota de ICMS é de 30% no estado, por isso o aumento da gasolina é mais elevado do que em outras regiões. A alíquota de ICMS incide sobre o preço médio ponderado ao consumidor final (PMPF). Determinado após pesquisa da Receita Estadual, esse valor representa a média do que é cobrado nas bombas. Assim, quanto mais elevado for o preço de referência, maior o resultado do tributo sobre a gasolina.

 

Outra consequência do preço elevado para os gaúchos é os custos relacionados ao etanol anidro. Em razão disso, a gasolina que chega às bombas tem aumento de 27% de álcool, por não ser produzido no Rio Grande do Sul. Dessa forma, ao trazer de outros Estados como o Paraná, encarece o preço final nos postos de gasolinas.

 

Também houve aumento no diesel no primeiro trimestre, este chegou a 2,5%, totalizando um valor de R$ 3,466. Ao contrário da gasolina, o diesel antes de chegar as bombas tem um acréscimo de 10% de biodiesel, isso porque o estado produz esse componente e o preço tem a ficar mais baixo do que a gasolina, mas assim mesmo gera um aumento.

 

Fonte: Gaúcha ZH

Por: Bruna Falcão

 

Brasil já tem 8,1 milhões de microempreendedores

 

O número de microempreendedores individuais (MEIs) no país subiu nos últimos anos, isto porque índice de desemprego sobe cada vez mais. Contudo, os brasileiros estão optando trabalhar por conta própria, já que possui mais vantagens como aquisição de CNPJ e direito a benefícios previdenciários.

 

Este ano o número de cadastros no MEIs ultrapassou a marca de 8 milhões. Segundo dados do Portal do Empreendedor do Governo Federal, em março foram 8.154.678 registros. Nos últimos 5 anos, a quantidade de cadastros no MEIs já cresceu mais 120%. Nos três primeiros meses do ano, o Brasil ganhou 379 mil novos microempreendedores formais.

 

 

Neste ano, o programa completa 10 anos de existência, onde foi lançado com o intuito de incentivar a formalização de pequenos negócios e de trabalhadores autônomos, como vendedores, doceiros, manicures, cabelereiros, costureiras, eletricistas, entre outros, a um baixo custo.

 

 

As estatísticas mostram que a faixa etária de maior concentração de MEIs, está entre 31 aos 40 anos, mas o registro formal de microempreendedores tem sido também uma opção de trabalho entre os jovens. O programa oferece baixo custo mensal de tributos (INSS, ISS ou ICMS) em valores fixos, acesso a apoio técnico do Sebrae, além de CNPJ e Alvará de Funcionamento sem custo e sem burocracia.

 

Fonte: G1

Por: Bruna Falcão

 

Remédios ficam 4,33% mais caros a partir desta segunda

O custo dos remédios pode subir até 4,33% a partir de hoje, dia 1° de abril, assim pesando principalmente os bolsos dos aposentados, estes que necessitam de medicamentos de uso continuo. Os dados foram divulgados pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED).

 

Este número ficou acima da inflação de 2018 e o aumento atual modifica a tabela de Preços Máximos ao Consumidor (PMC), mas vale ressaltar que estes valores não geram elevação automática nem ajustes imediatos nas farmácias e drogarias.

 

A atualização dos preços acontece de forma gradativa, conforme a renovação dos estoques, a demanda e a concorrência. Deste modo, os consumidores devem agir para evitar que este reajuste prejudique suas contas. Sendo que em muitas famílias os remédios têm peso de 6% no orçamento familiar.

 

Por todos esses aspectos, os consumidores devem pesquisar os preços nos locais, inclusive com a ajuda da internet, buscar programas de fidelidades e reforçar os estoques de medicamentos ainda com o preço em vigência. Mas deve ter cuidado com as datas de validade e a forma como armazena estes produtos.

Fonte: Gaúcha ZH

Por: Bruna Falcão

Expediente

Andres Editora Jornalística Ltda.
Rua General Osório, 2341/Sala 1 - Centro São Borja,RS - 97670-000

Fones: (55)3431-1100 / 3431-2394
Email: [email protected]

assinatura