Governo pode cortar gastos e aumentar impostos

O governo federal poderá cortar gastos e aumentar impostos, se for preciso, para conseguir cumprir a meta de déficit primário de R$ 139 bilhões para este ano. A afirmação é do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, em entrevista coletiva, após participar de reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, hoje (7), em Brasília.

O déficit primário é o resultado negativo das contas do governo sem considerar os gastos com juros da dívida pública. De acordo com o ministro da Fazenda, se a tendência de anos anteriores fosse mantida, o déficit primário chegaria a R$ 280 bilhões em 2017.

Meirelles disse ainda que a queda da economia no ano passado gerou impacto na arrecadação de tributos e, mesmo assim, o governo conseguiu entregar resultado melhor do que o previsto.

Em 2016, apesar da ajuda do programa de regularização de recursos no exterior, a chamada repatriação, o governo acusou o pior déficit primário da história, de R$ 154,255 bilhões. O resultado ficou abaixo da meta para o ano que era de R$ 170,5 bilhões.

Fonte: Agência Brasil

Rio Grande do Sul fechou 2016 com mais de 500 mil desempregados

O Rio Grande do Sul fechou 2016 com 502 mil desempregados. A estimativa é do IBGE na divulgação dos dados do último trimestre. São 107 mil desempregados a mais do que no mesmo período de 2015. Ao mesmo tempo, a pesquisa mostra que o Rio Grande do Sul tem 5,586 milhões de pessoas trabalhando.

Com isso, a taxa de desemprego ficou em 8,3% no Estado. Já esteve maior ao longo do ano passado. Mas é mais alta do que os 6,5% do fechamento de 2015. Houve uma queda forte no emprego em serviços domésticos. Foram 26 mil pessoas a menos. Assim como em empresas de transporte e correio.

Mas o corte mais intenso nos postos de trabalho ocorreu na indústria e no comércio, como outras pesquisas já vêm mostrando. Cada um eliminou mais de 50 mil empregos.

O rendimento médio do trabalhador ficou em R$ 2.288. É R$ 34,00 a mais do que no fim de 2015. Empregadores ganham, em média R$ 4.957. Quem atua por contra própria tem média de rendimento de R$ 1.998. O valor mais baixo é do doméstico: R$ 895,00.

Fonte: Gaúcha

Setor de serviços despenca 5% no Rio Grande do Sul

O volume do setor de serviços despencou 5% em 2016. O fechamento dos dados foi divulgado nesta quarta-feira (15/02) pelo IBGE.

É a mesma queda registrada na média nacional. A maior em cinco anos, quando começou o levantamento.

No RS, a maior queda foi em transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio -8,5% e a menor queda foi nos serviços de informação e comunicação -3,2%, e outros serviços -1%.

Dezembro, no entanto, teve resultado positivo no País. O setor de serviços cresceu 0,6% sobre novembro na média nacional. No Rio Grande do Sul, porém, houve recuo de 1,8% depois de ter avançado no mês anterior.

Fonte: Gaúcha

Aberto prazo de 30 dias para empresas se autorregularizarem no Fisco

De olho nos valores recebidos em operações com cartões de crédito ou débito, a Receita Estadual identificou divergências na movimentação financeira declarada por parte de empresas do Simples Nacional.

O monitoramento atinge cerca de dois mil contribuintes que, no período entre janeiro de 2012 a junho de 2016, teriam deixado de registrar receitas brutas de R$ 600 milhões, consequentemente sem recolher o ICMS sobre este montante. Quem, não aproveitar o prazo, corre o risco de ser excluído do Simples Nacional, um regime de tributação unificado que beneficia micro e pequenas empresas.

Com o objetivo de intensificar ações voltadas à identificação de divergências (ou inconsistências) e outros eventos que possam acarretar menor pagamento de imposto, a Receita Estadual lançou segunda-feira (13), um novo Programa de Autorregularização abrindo prazo de até 30 dias para corrigir a situação junto ao Fisco.

CONSEQUÊNCIAS DA NÃO REGULARIZAÇÃO

Persistindo as divergências constatadas, sem que tenha ocorrido o pagamento do imposto, o contribuinte ficará sujeito à abertura do procedimento de ação fiscal, com imposição de multa de até 150% do valor devido e à exclusão do Simples Nacional.

Fonte: Sefaz

Saque do FGTS inativo já tem data de início definida

O calendário de saques será divulgado na próxima terça-feira (14) em uma cerimônia no Palácio do Planalto, onde também será anunciado um site criado pelo governo para auxiliar os trabalhadores no saque.

A data oficial de início dos saques de FGTS inativos ainda não foi divulgada pela Caixa, mas podem começar no dia 10 de março. O calendário de saques terá como base o dia e mês do nascimento dos trabalhadores que têm direito a ele.

Têm direito de sacar o FGTS inativo os trabalhadores que foram desligados de um emprego, seja por terem sido demitidos sem justa causa ou por terem pedido demissão, até o dia 31 de dezembro de 2015.

Empresários têm poucos dias para aderir a novo emissor de NF-e

 

 

A corrida para encontrar um novo emissor de Nota Fiscal eletrônica (NF-e) está mais acirrada neste mês de dezembro. Isso porque o sistema oferecido pela Secretaria da Fazenda (Sefaz) será descontinuado em 1º de janeiro de 2017.

 

Dessa forma, os cerca de três milhões de empresários brasileiros que ainda utilizam o sistema da Sefaz têm menos de 30 dias para encontrar um novo software que emita o documento fiscal.

 

E o TiraNota é um sistema capaz de substituir esse serviço sem custo com mais agilidade. Por meio do TiraNota, a emissão de NF-e dura cerca de 5 minutos, ou seja, 1/3 do tempo gasto no sistema da Sefaz.

 

Sobre o TiraNota

Há cinco anos no mercado, o TiraNota está disponível no plano Free, indicado para pequenas empresas, no qual emite NF-e de saída, com certificado A1, e tem como principal vantagem o cadastro de produtos e contatos, além do cálculo automático de impostos com base em predefinições.

 

Já o plano Plus emite certificados A1 e A3 com emissão e armazenagem de notas de entrada/saída, importa NF-e de entrada para cadastro automático de produtos, envia notas por e-mail para cliente e contador e possui alguns relatórios gerenciais.

Fonte: blogdowagnergil

Expediente

Andres Editora Jornalística Ltda.
Rua General Osório, 2341/Sala 1 - Centro São Borja,RS - 97670-000

Fones: (55)3431-1100 / 3431-2394
Email: folhadesaoborja@gmail.com

assinatura