• Guia

Exatoria Estadual não será fechada no município

A agência da Exatoria Estadual de São Borja não será fechada a partir de 4 de junho, como chegou a ser veiculado na cidade. A notícia positiva foi dada esta semana pelo presidente do Sindilojas e vice-presidente da Fecomércio-RS, Ibrahim Mahmud. O secretário da Fazenda, Luiz Antônio Bins, foi quem deu a informação a Mahmud durante contato telefônico na quarta-feira, dia 23.

 

O dirigente lojista destaca que a informação é importante para o município, pois é a Exatoria Estadual que controla o recolhimento de ICMS e representa também na cidade a Secretaria Estadual da Fazenda. “Já havia sobre o assunto com o secretário Bins há alguns dias em Porto Alegre, mas devido à preocupação que existia no município, resolvi ligar para ele e confirmar a permanência do órgão”, ressaltou Ibrahim Mahmud. Ele destacou que também havia pedido apoio ao ex-deputado estadual Ibsen Pinheiro, que é são-borjense.

Instalação de free shops no RS deve ocorrer nos próximos meses

Em poucos meses, os gaúchos não devem mais precisar ir até o Uruguai para adquirirem produtos importados nos free shops com um preço mais em conta. A instalação dessas lojas com produtos livres de impostos já está autorizada no país.

O funcionamento dos free shops é algo muito esperado, já que promete gerar emprego e renda. O assunto é debatido há seis anos. Das 11 cidades gaúchas que poderão ter essas lojas, cinco são da Fronteira Oeste.

Atualmente, os uruguaios são proibidos por lei de comprarem nos free shops. Mas, do lado brasileiro eles são bem-vindos e terão uma cota mensal de US$ 300.

A principal diferença da lei brasileira para a uruguaia é que não são só os estrangeiros que poderão gastar nos free shops. Todos os brasileiros também estão autorizados, desde que respeitam a mesma cota.

Fonte: G1

Intenção de consumo das famílias cresce 4,2% de janeiro para fevereiro

A Intenção de Consumo das Famílias, medida pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), teve alta de 4,2% de janeiro para fevereiro deste ano. O crescimento chegou a 13% na comparação com fevereiro de 2017.

Segundo a CNC, a alta é provocada pela melhora do poder de compra das famílias. A confederação considera que a trajetória de queda da inflação e das taxas de juros (ainda que suave) e as linhas de crédito permitiram menor comprometimento da renda e, consequentemente, o aumento da intenção de consumo.

Apesar disso, a CNC considera que a recuperação da intenção de consumo é lenta, distante dos níveis registrados entre 2010 e 2012.

Na comparação com janeiro, as melhores avaliações foram observadas nos componentes de momento para a compra de bens duráveis (5,8%) e perspectiva profissional (5,3%). Já na comparação com fevereiro de 2017, os destaques foram a perspectiva de consumo (25,7%) e momento para duráveis (23,5%).

Fonte: Agência Brasil

Lojistas esperam boas vendas para o Natal

 Após 3 anos de quedas e significativas baixas no poder aquisitivo do consumidor, o comércio começa a apresentar sinais de que em 2017, as vendas de fim de ano possam ser melhores.

A expectativa de crescimento é de 10% a 15% em comparação ao ano passado e segundo os lojistas, a circulação de argentinos no comércio é um diferencial para esse crescimento. 

Por Mayara Rodrigues

Acisb e Unipampa realizam o 1º Fórum Indústria Criativa

 

Entreos dias 6 e 7 de dezembro, ocorre o 1° Fórum de Indústria Criativa, na sede da Acisb. O evento tem por objetivo apresentar temas inovadores na área da comunicação e da indústria criativa para as empresas de São Borja. Realizado pela Acisb em parceria com a Unipampa, com o apoio do Conselho de Jovens Empresários de São Borja e do Programa Qualifica São Borja.

Por Mayara Rodrigues

Aneel confirma bandeira vermelha para outubro

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou dia 29 de setembro, que a bandeira tarifária das contas de luz em outubro será a vermelha patamar 2. A tarifa é a mais cara do modelo e representa a cobrança de taxa extra de R$ 3,50 a cada 100 Quilowatt-hora (kWh) consumidos. Em setembro, a bandeira tarifária das contas de luz foi a amarela, com taxa extra de R$ 2,00 para cada 100 kWh de energia consumidos.

Segundo o diretor-presidente da Aneel, Romeu Rufino, a decisão foi tomada devido à baixa vazão das hidrelétricas, porque as chuvas em setembro ficaram abaixo da média. “Em função do regime hidrológico muito crítico, este setembro foi o pior mês de setembro, do ponto de vista da vazão, da série histórica do setor elétrico”.  Apesar do alerta, Rufino disse que não há risco para o abastecimento de eletricidade.

Desde que a bandeira vermelha passou a ter dois patamares, 1 e 2, em janeiro de 2016, esta é a primeira vez que o nível mais alto é acionado. A tarifa extra mais alta se deve à necessidade de operar mais usinas térmicas, cujo custo de produção da energia é mais alto que a da produzida nas hidrelétricas.

Fonte: EBC

Expediente

Andres Editora Jornalística Ltda.
Rua General Osório, 2341/Sala 1 - Centro São Borja,RS - 97670-000

Fones: (55)3431-1100 / 3431-2394
Email: [email protected]

assinatura