Provas presenciais do ENEM acontecem nos dois próximos domingos

Os candidatos ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 que tiverem o diagnóstico confirmado de Covid-19, estejam aguardando o resultado ou com sintomas, poderão remarcar a data da prova, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). O estudante deverá comprovar a informação através de um atestado médico, e enviar ao Inep. 

Além disso, o Instituto também prevê 50% de ocupação das salas para evitar a propagação do coronavírus, e salas especiais para os grupos de risco. O uso de máscara será obrigatório, desde o início até o fim da aplicação do exame. Caso se recuse, o candidato poderá ser eliminado. O Inep informou que irá disponibilizar álcool em gel nos locais de provas. Previsto originalmente para novembro, o exame foi adiado devido à pandemia, e vai ocorrer em 17 e 24 de janeiro (prova impressa) e 31 de janeiro e 7 de fevereiro (prova digital). 

Os portões dos locais de prova abrirão um pouco mais cedo para diminuir as aglomerações, a partir das 11h e 15min, e serão fechados às 13h. O início das provas será às 13h30min e o candidato só poderá sair após às 15h30min, sem o caderno de questões. Para sair com o caderno, no primeiro dia, só será permitido a partir das 18h30min e, no segundo, às 18h. O término da prova será às 19h e 18h30min, no primeiro e segundo dia, respectivamente. Para quem tem direito ao tempo adicional de 60 minutos, o encerramento será às 20h no primeiro dia e às 19h30min no segundo. Para os candidatos com tempo adicional de 120 minutos, que farão a vídeo prova em Libras, será às 21h no primeiro dia e às 20h30min no segundo. 

SÃO BORJA

As provas serão aplicadas nas Escolas Tricentenário, Olavo Bilac, Apparicio Silva Rillo, Getúlio Vargas, CESB, Padre F. Garcia e Arneldo Matter. Na cidade, estão inscritos 1957 candidatos. De acordo com a organização local do Enem, a estrutura está sendo montada com todos os procedimentos de prevenção baseados no protocolo que foi enviado pelo Inep, de proteção, distanciamento, esterilização das salas, demarcação da fila e demais protocolos para evitar contaminação.

Fonte: Rádio Fronteira FM

Coluna 'Gente e Política' por Humberto Andres

 

FLÁVIO SARTORI

I

Faleceu, no final da última terça-feira, o empresário e veterinário Flávio Campos Sartori. Ele tinha 52 anos, lutava contra uma enfermidade havia alguns anos e de uns tempos pra cá viu o quadro se agravar. Reconhecido veterinário e compositor, era muito ligado a cultura gaúcha. Fez parte do quadro diretivo do Centro Nativista Boitatá e participava ativamente de festivais musicais, tendo acumulado, ao longo dos anos, diversas premiações e deixado um acervo de cerca de mil músicas.

II

Um dos poucos frequentadores do mundo virtual que não se deixou contaminar pela toxicidade das redes sociais, começava e terminava o dia sempre da mesma forma, dando ‘bom dia’ e ‘boa noite’ à sua ‘queridagem’, como chamava seus amigos. Era conciliador e avesso a polêmicas e cultivava a empatia já há tempos, muito antes de virar a palavra da moda. Flávio deixa a esposa Luciane, os pais José e Clara, a irmã Cristiane e o cunhado José Horácio, além de sobrinhos e centenas de amigos e admiradores.

 

SEM LÓGICA

Não tem lógica a limitação de horário para funcionamento do comércio, bares e restaurantes imposta pelo governo do Estado às cidades que fazem parte de regiões que estejam sob bandeira vermelha. Pelo contrário, quanto mais se alonga o período de funcionamento de determinado estabelecimento, mais espaçado fica o atendimento aos clientes. Vale o mesmo raciocínio utilizado nas eleições, em que o horário de votação foi uma hora maior que em anos anteriores justamente com esse objetivo.

Essa limitação, além de não ter benefícios, só prejudica os comerciantes.

 

INVERSÃO

Inacreditável a conversa dos comunicadores Kelly Matos e David Coimbra no programa Time Line, da rádio Gaúcha, na última quarta-feira, em que saíram na defesa dos bandidos que aterrorizaram Criciúma. Kelly, parafraseando o comunista alemão Bertold Brecht, disse que “crime não é roubar, mas fundar um banco”, enquanto que Coimbra falou que “os criminosos tiveram respeito pelo cidadão”. Será que os milhares de empregados em bancos concordam? Será que a família do policial atingido com um tiro concorda?

Curiosamente, o programa era patrocinado pela Unicred, que já emitiu nota cancelando o contrato, juntamente com outras quatro empresas.

É assustadora a inversão de valores, principalmente quando parte de formadores de opinião.

ARMAS

O pessoal contrário à legalização do registro de armas por parte do cidadão comum aproveitou o assalto ocorrido em Criciúma para justificar sua posição. Só que duas coisas não fecham nesse raciocínio. Primeiro, criminoso não compra suas armas em lojas legalizadas, com nota fiscal. Segundo, ainda que fizesse isso, não ia conseguir esse armamento pesado utilizado no assalto, capaz de derrubar até mesmo aeronave.

Esse é no mercado negro. E sem CPF.

 

DEBOCHE

O Ministério Público do Mato Grosso gastou R$ 2,2 milhões para comprar 400 celulares de última geração, como Iphone 11, Galaxy Note 20 e Galaxy S10, para uso de promotores e procuradores de Justiça. O órgão esclareceu que “os celulares têm preços similares aos computadores, mas dispõem de ferramentas mais modernas e proporcionam mais segurança”. Conversa fiada para justificar vantagem indevida. É evidente que promotores e procuradores não vão trabalhar com o celular e que vai ter computador na mesa de cada um.

Uma classe que tem o salário inicial de cerca de R$ 28 mil pode comprar seu próprio celular.

 

SOBE E DESCE

Dentre os principais partidos do país, as siglas que tiveram mais destaque, seja para cima, seja para baixo, nessas eleições, foram o PSDB, MDB, PT, DEM e PP. O número de prefeituras do PSDB caiu de 785 em 2016 para 520, enquanto as do MDB foram de 1.035 para 784. O PT, que tinha 254, foi para 183, e ficou sem nenhuma capital. Já o DEM passou de 266 para 464, e o PP saltou de 495 para 685.

 

DERROTA

Considerando que o PP e o DEM integram o Centrão, que fazem parte da base de apoio do governo federal, e o PT é o maior adversário político de Bolsonaro, fica difícil concordar com o prognóstico de que o presidente foi o maior derrotado do pleito. Os maiores derrotados foram PSDB, MDB e PT, partidos que até pouco tempo atrás davam as cartas no país.

Unipampa oferta 145 vagas de graduação através do SiSU para o segundo semestre de 2020

Na última segunda-feira, dia 6, a Universidade Federal do Pampa (Unipampa) divulgou o Termo de Adesão ao Sistema de Seleção Unificada (SiSU), do segundo semestre de 2020, firmado entre a Universidade e o Ministério da Educação (MEC). O Edital número 162/2020 traz informações aos candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio, interessados em concorrer às vagas gratuitas de graduação oferecidas pela instituição.

Ao todo, a Unipampa ofertará 145 vagas  em cinco dos cursos de graduação do Campus Uruguaiana, sendo: Enfermagem (25 vagas); Farmácia (25 vagas); Fisioterapia (25 vagas); Medicina (30 vagas); Medicina Veterinária (40 vagas). Destas vagas, a universidade destina vagas conforme o disposto na Lei nº 12.711/2012 e nas ações afirmativas da Unipampa.

As inscrições estão abertas a partir de hoje, dia 7, e vão até sexta-feira, dia 10, pelo site sisu.mec.gov.br. A divulgação do listão de aprovados na Chamada Regular do SiSU 2020/2 está prevista para 14 de julho. As instituições terão entre os dias 16 e 21 de julho para a realização da confirmação de vaga (matrícula), em cronograma próprio a ser divulgado no edital e site de cada universidade.

Para mais informações sobre a documentação, as vagas e a instituição, basta acessar o site www.unipampa.edu.br

Por: Tchaylen de Souza

Fonte: ACS Unipampa 

Músicos, bares e restaurantes enfrentam dificuldades com restrições ao comércio

Sem dúvidas, a realidade imposta pela pandemia do novo coronavírus alterou os hábitos de toda a sociedade. Em muitas cidades, o fechamento total ou parcial do comércio afetou diretamente pequenos e médios comerciantes, com demissão de funcionários, alteração do horário de funcionamento e, em alguns casos, o encerramento das atividades. No comércio do ramo de bebidas, alimentos e com música ao vivo como bares e restaurantes, as adaptações tiveram de ser necessárias para continuar trabalhando. Em São Borja, com a mudança da bandeira para vermelha, na região que abrange o município no distanciamento social do Estado, bares e pubs não podem abrir para o público até a próxima análise.

Na bandeira vermelha, restaurantes e lancherias só podem funcionar para tele-entrega, retirada no local ou drive-thru, e o encerramento não deve ultrapassar as 23h, podendo acarretar em suspensão do alvará por 15 dias e multa para quem não cumprir o decreto. Devido às restrições dos locais que oferecem música ao vivo, a situação de artistas que mantém a música como renda principal, também ficou difícil, sem uma perspectiva positiva tão cedo. Um dos problemas enfrentados pelos locais com música ao vivo e principalmente pelos músicos, foi a redução de público, medida necessária para evitar aglomerações e propagação do vírus, pois o pagamento do cachê dos músicos geralmente é pela quantidade de “couverts” ou ingressos da noite.  

Dessa forma, estabelecimentos que trabalhavam com apresentações musicais tiveram de suspender um de seus principais atrativos do público. Alguns músicos da cidade e um estabelecimento que costumava lotar com apresentações ao vivo relataram a situação, dificuldades financeiras e adaptações à realidade atual. 

A reportagem completa você confere na edição impressa de sábado, dia 04/07/2020.

Por Tchaylen de Souza

Protesto contra o governo mobiliza segurança pública

Dezenas de integrantes da Brigada Militar, Corpo de Bombeiros e Susepe e seus familiares se mobilizaram na manhã desta segunda-feira, dia 16, a partir de concentração no Parcão. Após seguiu-se carreta pelo centro da cidade indo até a Brigada Militar onde foi montado acampamento.

 

O protesto é contra o pacote de reforma administrativa do governo do Estado que está na Assembleia e que retira benefícios de servidores da segurança pública.

Matéria completa na edição de quarta-feira, dia 18, na Folha de São Borja.

Anvisa libera a venda de remédios à base de maconha

Nesta terça-feira, dia 3, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), aprovou por unanimidade a regulamentação e o registro da venda de medicamentos à base de cannabis em farmácias do Brasil. A medida deve começar a vigorar no comércio daqui a 90 dias e o medicamento poderá ser comprado através de receita médica. Segundo a Anvisa, a medida deve melhorar a vida de diversos pacientes.

 

Hoje há cerca de 14 mil pedidos em andamento para importação do medicamento. Neste ano, a agência já recebeu cerca de 5.321 pedidos de compra de compras do medicamento com cannabidiol. Atualmente, no Brasil, existe apenas um produto registrado. O único remédio, chamado 01 Mavatyl, custa em torno de R$ 2.800.

 

A maconha contém dois tipos de substância, o Tetrahidrocanabinol (THC) e o Canabidiol (CBD). O THC é a substância responsável pelos efeitos psicoativos e neurotóxicos. Já a CBD possui propriedades terapêuticas que fazem bem para o organismo. O CBD é utilizado nos medicamentos. De acordo com a Anvisa, em remédios com concentrações de THC menores de 0,2%, o medicamento deverá ser prescrito com numeração fornecida pela vigilância sanitária e exige renovação da receita em até 60 dias. Acima do percentual, o receituário seria do tipo A, semelhante ao da morfina.

 

As empresas que quiserem produzir a medicação devem tenha autorização de funcionamento específicas. Além disso, a mesma deve possuir certificado de boas práticas de fabricação, que deve ser emitido pela própria Anvisa.

 

 Fonte: Uol/Correio do Povo e SPDM

Por: Erika Dal’Carobo

Expediente

Andres Editora Jornalística Ltda.
Rua Riachuelo, 928 - Centro São Borja,RS - 97670-000
Fones: (55)3431-1100 / 3431-2394
Email: folhadesaoborja@gmail.com

assinatura