Após assembleias realizadas na noite de terça-feira, dia 17, os funcionários dos Correios decidiram suspender em todo o pais a paralisação iniciada no último dia 10, seguindo a proposta do Tribunal Superior do Trabalho (TST) de prorrogar o atual acordo coletivo da categoria até a data do julgamento do dissídio.

Na última quinta-feira, dia 12, o ministro do TST Maurício Godinho Delgado já havia determinado que 70% dos funcionários dos Correios voltassem ao trabalho.

Em declaração, os Correios destacaram que a suspensão da paralisação foi a condição para que a empresa aceitasse a proposta do TST de manter as cláusulas do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2018/2019 até a data do julgamento do dissídio coletivo.

Entre as reivindicações da categoria estão, reposição da inflação do período, a não privatização da estatal, incluída no mês passado no programa de privatizações do governo Bolsonaro, e a reconsideração quanto a retirada de pais e mães do plano de saúde.

Segundo a estatal, já foram implementadas medidas para que o fluxo postal e as entregas sejam normalizados o mais rápido possível, incluindo o deslocamento de empregados administrativos para auxiliar na operação e a realização de mutirões nos fins de semana.

Fonte: G1

Por: Eduardo Castro

Expediente

Andres Editora Jornalística Ltda.
Rua General Osório, 2341/Sala 1 - Centro São Borja,RS - 97670-000

Fones: (55)3431-1100 / 3431-2394
Email: [email protected]

assinatura