Nesta terça-feira, dia 3, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), aprovou por unanimidade a regulamentação e o registro da venda de medicamentos à base de cannabis em farmácias do Brasil. A medida deve começar a vigorar no comércio daqui a 90 dias e o medicamento poderá ser comprado através de receita médica. Segundo a Anvisa, a medida deve melhorar a vida de diversos pacientes.

 

Hoje há cerca de 14 mil pedidos em andamento para importação do medicamento. Neste ano, a agência já recebeu cerca de 5.321 pedidos de compra de compras do medicamento com cannabidiol. Atualmente, no Brasil, existe apenas um produto registrado. O único remédio, chamado 01 Mavatyl, custa em torno de R$ 2.800.

 

A maconha contém dois tipos de substância, o Tetrahidrocanabinol (THC) e o Canabidiol (CBD). O THC é a substância responsável pelos efeitos psicoativos e neurotóxicos. Já a CBD possui propriedades terapêuticas que fazem bem para o organismo. O CBD é utilizado nos medicamentos. De acordo com a Anvisa, em remédios com concentrações de THC menores de 0,2%, o medicamento deverá ser prescrito com numeração fornecida pela vigilância sanitária e exige renovação da receita em até 60 dias. Acima do percentual, o receituário seria do tipo A, semelhante ao da morfina.

 

As empresas que quiserem produzir a medicação devem tenha autorização de funcionamento específicas. Além disso, a mesma deve possuir certificado de boas práticas de fabricação, que deve ser emitido pela própria Anvisa.

 

 Fonte: Uol/Correio do Povo e SPDM

Por: Erika Dal’Carobo

Expediente

Andres Editora Jornalística Ltda.
Rua General Osório, 2341/Sala 1 - Centro São Borja,RS - 97670-000

Fones: (55)3431-1100 / 3431-2394
Email: [email protected]

assinatura