Região Metropolitana ainda tem mais de 400 pessoas fora de casa

Região Metropolitana ainda tem mais de 400 pessoas fora de casa por causa da chuva que atingiu o Estado em julho. O município mais prejudicado é Cachoeirinha, onde 106 pessoas, moradores do Bairro Olaria, estão abrigadas em três espaços oferecidos pela prefeitura.

O Rio Gravataí ainda precisa baixar cerca de dois metros para permitir o retorno das famílias para as casas. Apesar da chuva desta quarta-feira (5), a Defesa Civil municipal observa que o rio está baixando cerca de 30 cm por dia, em média.

No município também há 12 famílias, do Bairro Meu Rincão, que estão na casa de amigos ou parentes. As autoridades estimam que até sexta-feira (7) as famílias possam voltar às residências.

Em Alvorada, 106 pessoas estão no Ginásio Municipal. São moradores dos bairros Americana e Nova Americana. O Arroio Feijó, que transbordou, já retornou para o leito, no entanto, as casas ainda apresentam acúmulo de barro e sujeira.

Em Novo Hamburgo, 42 famílias, do Bairro Vila Diehl, seguem fora de casa. Os imóveis estão em área sob risco de desmoronamento e, segundo a Defesa Civil municipal, as fendas observadas no terreno da encosta seguem aumentando.

As famílias estão cadastradas para o recebimento de aluguel social.

Fonte: Rádio Gaúcha

Instabilidade pode trazer chuva à Fronteira Oeste

A instabilidade que vem se aproximando em grande parte do Rio Grande do Sul traz chuva e precipitações nesta terça-feira. Na região metropolitana de Porto Alegre já chove.

Segundo a Somar Meteorologia, em São Borja, a previsão é de sol alternando com pancadas de chuva. As temperaturas variam de 18° a 27°.

Brigada Militar em São Borja não adere à paralisação

Os protestos que acontecem hoje devido às últimas medidas que foram anunciadas pelo governo do estado, como o parcelamento dos salários dos servidores, interrompe o serviço de escolas e bancos.

Em São Borja, o presidente da Associação Beneficente das Praças da Brigada Militar, Airton Rocha Alves, confirmou que o efetivo vai estar nas ruas. Alves, aguarda o posicionamento de outras associações em nível estadual.

Uma assembleia será organizada, ainda essa semana, para debater as principais queixas das entidades representativas estaduais. O comandante da Brigada Militar (BM), Tenente Coronel Edson Damião, confirma que o policiamento será realizado normalmente.

Segundo Damião, a orientação do comandado estadual da BM, é que as atividades não sejam alteradas na cidade. Com isso, o efetivo estará à disposição da comunidade através do telefone 190.

Susepe e Polícia Civil suspendem atividades

Os servidores da Polícia Civil também estão com as atividades suspensas nas delegacias do estado. Um dos diretores da Ugeirm Sindicato, que representa escrivães, inspetores e investigadores, Cláudio Wohlfahrt, esclareceu que a paralisação das atividades começou às 8h e vai até às 18h.

Em nota oficial, o presidente da Asdep, representativa dos delegados, Wilson Muller Rodrigues, manifestou respeito e apoio às medidas anunciadas diante da notícia de parcelamento da remuneração dos servidores públicos.

Em São Borja, os integrantes da Polícia Civil paralisaram os serviços nesta segunda-feira. Somente estão sendo registrados crimes de homicídio, latrocínio, Lei Maria da Penha e ocorrências que envolvam menores de idade. Os policiais civis estão reunidos em frente a delegacia.

Já no Presídio Estadual de São Borja estão suspensas, parcialmente, atividades internas com detentos, transporte de apenados para audiências e transferência de presos, segundo o Diretor do Presídio, Anderson Lovatto.

Ficam mantidos o cumprimento de alvarás de soltura e o recebimento de prisões em flagrante, bem como os serviços de alimentação e saúde.

Maioria dos bancos atendem normalmente na cidade

Os bancários no estado conseguiram uma liminar na Justiça do Trabalho que garante a possibilidade de agências fechadas caso não haja policiamento nas ruas.

Segundo o Sindbancários caso não haja segurança para manter as atividades, os bancos ficarão fechados ao longo do dia.

Em São Borja, o presidente do Sindicato dos Bancários, Jânio de Brum, disse que as atividades só serão suspensas, caso não aconteça o policiamento ostensivo na cidade.

Como a Brigada Militar está trabalhando, normalmente, os bancos também realizam suas atividades.

O único banco que está fechado é o HSBC.

Professores paralisam as atividades em São Borja

A semana começa com paralisação em diversas categorias. Como já havia sido anunciado, as escolas estaduais interrompem as atividades nesta segunda-feira (3).

Em São Borja, a maioria das instituições não abriu as portas. Os professores estão sendo orientados a participar do plenário em educação, organizado pelo Cpers sindicato, que acontece a partir das 15h, na escola Apparício Silva Rillo.

Segundo a Diretora do Cpers, Fátima Contreira, hoje, a paralisação acontece de forma geral. A partir de amanhã, até o dia 18, quando será realizada a assembleia geral, as aulas serão ministradas em um turno.

A Coordenadoria Regional de Educação aguarda um parecer da Secretaria de Educação, mas a orientação é para que os pais entrem em contato com as escolas para mais detalhes.

Na última sexta-feira, o governo do estado anunciou que os salários do mês de julho dos servidores seriam parcelados. As escolas Apparício Silva Rillo, Padre Francisco Garcia, Getúlio Vargas e Tusnelda Lima Barbosa não tem aula.

Expediente

Andres Editora Jornalística Ltda.
Rua General Osório, 2341/Sala 1 - Centro São Borja,RS - 97670-000

Fones: (55)3431-1100 / 3431-2394
Email: [email protected]

assinatura