PTB não faz mais parte da base governista municipal

Este ano de 2016 tem apresentado alterações no cenário político de São Borja. Após saída do PMDB da coligação de partidos que compõe o atual governo, no mês passado, ontem, dia 18 de fevereiro, a mesma decisão foi tomada pelo PTB de São Borja.

Em reunião realizada ontem, às 19hs30min, com a finalidade de votação a respeito da possível saída do partido da coligação, os 16 membros presentes da executiva, votaram unanimamente pela saída. Já na terça-feira, dia 16, uma extensa reunião entre os partidários concedeu oportunidade para que todos manifestassem seus posicionamentos, deixando a votação para ontem.

Na oportunidade, foi redigido documento de saída e protocolado na manhã desta sexta-feira, dia 19, no gabinete do Prefeito Farelo Almeida pelo presidente do PTB e Vice Prefeito de São Borja, Jefferson Olea Homrich. No documento, há exposições dos motivos alegados pelo partido para a ruptura da coligação.

Entre os pontos destacados como justificativa para saída do partido está a falta de diálogo nas definições administrativas do município. Completa o documento, o nome dos 12 cargos que o PTB ocupava, até então, na prefeitura, o qual também, foi pedido para que o Prefeito exonerasse.

Prefeitura enfrenta dificuldades econômicas em São Borja

Mesmo em início de exercício com novo orçamento, a Secretaria de Administração e Fazenda em São Borja segue com receita apertada. Várias dificuldades financeiras também foram registradas no ano passado.

O titular da pasta, Bruno Silva Maurer, destaca que o maior desembolso é com o salário do funcionalismo, no final do mês, mas até o encerramento da semana há outros repasses importantes para serem realizados.

Um deles, de R$ 550 mil reais, é a quantia mensal da Câmara de Vereadores. Já em relação ao vale-alimentação dos servidores municipais, nesta quarta-feira (17) devem ser pagos cerca de R$ 500 mil reais.

Outros valores semelhantes devem ser pagos até o dia 20, relativo à contribuição de INSS pela prefeitura, informe Bruno Maurer.

Projeto pretende mudar regras para contração de CCs em São Borja

Foi elaborado em São Borja pelo vereador Roque Feltrin (PSDB) um projeto de emenda à lei orgânica do município para instituir regras sobre a quantidade de cargos em comissão na administração pública e estabelecer processo seletivo.

Projeto ainda não foi votado. A emenda propõe que um terço de todos os cargos comissionados no município sejam preenchidos por servidores do quadro efetivo, visando qualificar o serviço público.

Outro objetivo é evitar que pessoas sem qualificação possam ocupar os cargos, já que deverá ser comprovado o conhecimento técnico e habilidade específica à função.

O projeto está seguindo os tramites regimentais da Câmara de Vereadores e deverá ser votados em breve.

Roque Feltrin confirma coligação do PSDB com PP em São Borja

Com a proximidade das eleições municipais deste ano, os partidos em São Borja já negociam coligações. Na noite desta quinta-feira (11), filiados e lideranças do Partido Social da Democracia Brasileira (PSDB), se reuniram para discutir o futuro político da sigla.

O vereador Roque Feltrin, presidente da comissão provisória do partido, afirmou que por decisão unânime os integrantes do PSDB concordaram em realizar uma coligação com o Partido Progressista (PP). De acordo com Feltrin, não foi imposto à composição do PSDB na majoritária para que ocorra a coligação, apesar de confirmar que a decisão está firmada.

Cartório Eleitoral de São Borja atende em horário diferenciado neste período de férias

Mesmo no atual período de férias e de desaceleração de atividades na maioria dos setores, é considerado bom o movimento no cartório da Justiça Eleitoral em São Borja.

Entre os motivos para a demanda estão, principalmente, a participação em concursos públicos, posse em empregos públicos, ingresso ou financiamento em universidades ou ainda alistamento militar.

Em todos esses casos é preciso comprovar situação eleitoral regular. Até o final de fevereiro, neste período de férias, o cartório da Justiça Eleitoral está funcionando em horário especial, segundo orientação do TRE.

De segunda à quinta-feira, o atendimento ao público é das 13hs às 19hs, e na sexta-feira, das 09hs às 15hs sem fechar ao meio dia.

O pedido reiterado é para que os eleitores não deixem para última hora os encaminhamentos que necessitarem visando a votação eleitoral deste ano para prefeito e vereadores, pois o prazo final se encerra em abril, e o movimento nessa época provavelmente se acentuará.

Desistência de empresas causa interrupção de obras em São Borja

A prefeitura de São Borja segue enfrentando problemas da ausência de empresas em licitações ou decorrentes da desistência de empreiteiras após o início de obras contratadas. Há casos em que uma mesma obra tem dois e até três processos licitatórios, sem interessados, conforme informa o Secretário de Planejamento do Município, Júlio César Vieira.

Ele ressalta que são processos burocráticos e longos que só atrasam a execução dos projetos. Quanto à paralisação de obras licitadas, só uma das empresas contratadas chega a ser desistente em seis contratos no Município, que são o Centro Especializado de Reabilitação, quiosques no cais do porto, um Centro de Comércio Popular, uma academia ao ar livre no Bairro Itacherê, uma escola de ensino fundamental na localidade de Ivaí e uma cozinha comunitária em São Marcos.

O secretário Júlio Vieira explica que termina esta semana o prazo definitivo para a empresa formalizar a desistência e após esse ato formal poderão ser aberto novas licitações. Havendo empresas interessadas e que preencham as condições, será preciso esperar mais um mês pelo menos, segundo prevê o Secretário.

Todas as obras têm recursos federais e contrapartida do município. As duas de maior porte são o Centro Especializado de Reabilitação, em frente à Praça da Lagoa, com mais de 70% de execução, e a escola em Ivaí, com cerca de 40% prontos. Para o centro de reabilitação o contrato foi de R$ 761.000,00, e para a escola cerca de R$ 1 milhão de reais, mas em geral o orçamento está defasado, sendo necessário que o governo federal faça aditivo de recursos.

Esse é o caso também da implantação de 20 quiosques para vendedores de lanches e bebidas no Cais do Porto. No final do ano de 2015, verba de emenda parlamentar do Deputado Federal Luis Carlos Heinze teve de ser devolvida à União em conseqüência de não ter havido nenhuma empresa habilitada no processo licitatório.

O valor era de R$300.000,00 para a construção de um píer no Cais do Porto. O Secretário Júlio explicou que o processo burocrático acabou demorando muito e o valor ficou defasado, fora isso, a construção do píer também é muito complexa, o que pode ter auxiliado para que as licitações resultassem desertas.

Expediente

Andres Editora Jornalística Ltda.
Rua General Osório, 2341/Sala 1 - Centro São Borja,RS - 97670-000

Fones: (55)3431-1100 / 3431-2394
Email: folhadesaoborja@gmail.com

assinatura