• Guia

Colheita do arroz continua com ritmo lento na região

A colheita de arroz ainda segue em ritmo lento em São Borja, atingindo, pelo levantamento do último final de semana, 9% da lavoura plantada de 41 mil hectares. A unidade local do Insituto Rio-grandense do Arroz (Irga) prevê que a partir de agora a operação vai ser intensificada e a expectativa é de que melhore os níveis de rendimento, que são baixos na fase inicial.

A colheita nas próximas semanas corresponde à etapa de plantio no mês de novembro, quando houve uma 'janela' de menos chuva e melhores condições no trabalho de semeadura. Nesta quarta-feira (24) o Irga apresenta novo balanço sobre o andamento da safra do ciclo 2015/2016.

No geral, é certo que os níveis de produtividade serão menores, devido aos problemas acarretados pelo clima.

Arrozeiros de São Borja participam da abertura oficial da colheita

Será neste sábado (20) a cerimônia de abertura oficial da colheita do arroz no Estado, 26° edição, este ano em Alegrete. Os produtores e entidades representativas aproveitam a presença de autoridades federais e estaduais para formular reivindicações, esperando também algum anúncio de apoio.

A principal reivindicação diz respeito a problemas acarretados pelo clima na lavoura orizícola, desde o início do ciclo, e a reivindicação é prorrogação de dívidas dos financiamentos contratados, além de medidas de apoio à comercialização da safra.

Também é destaque a demonstração de vitrines tecnológicas, que mostram novidades não apenas em relação ao arroz, mas soja, milho e pastagens. São Borja participa com numerosa delegação em Alegrete, formada por técnicos e produtores ligados à orizicultura.

Em São Borja, estão colhidos um pouco mais de 5% de uma lavoura plantada de 41 mil hectares.

Plantio de arroz continua em São Borja

A unidade do Irga em São Borja contabiliza o plantio de um pouco mais de 98% de uma área prevista para o município de 43 mil hectares. Mesmo já fora do período recomendado, mas aproveitando o tempo bom, a tendência ainda é de que ocorram mais alguma semeadura. Com isso, tudo indica, deverá ser atingido plantio de 100% da área projetada para este ano, mesmo que fique 12 por cento abaixo do ciclo 2014-2015.

Mantém-se a expectativa, porém, no desempenho dessas lavouras plantadas no tarde, que só devem se aprontar no mês de maio. O Irga ainda faz levantamento, não apenas em relação à área orizícola semeada, mas em relação às perdas determinadas por chuvas e enchentes, assim como dos demais prejuízos acarretados pelo clima.

O período normal de início de colheita é na metade de fevereiro, mas neste ano, em conseqüência do atraso no plantio ou em algumas áreas que tiveram que ser replantadas, certamente em abril ainda terá lavouras sendo colhidas.

Sindicato Rural vai entregar documentação ao Ministro da Integração

Nesta quarta-feira (06) será realizada uma reunião em Uruguaiana com o Ministro da Integração, Gilberto Occhi, que contará a participação de seis municípios da região. O objetivo desse encontro é orientar os municípios, que decretaram situação de emergência, em função da enchente, sobre procedimentos necessários para obtenção de apoio federal.

Segundo dados encaminhados pela assessoria de imprensa do Sindicato Rural de São Borja, na lavoura de arroz, se esperavam plantar 44 mil hectares. Destes, 4 mil hectares não foram plantados. Dos 40 mil plantados, 4 mil ficaram inundados.

Dos 36 mil restantes em torno de 70% foram plantados, fora da época normal e o restante dentro do período, mas foram necessários replantes por conta do excesso de chuva, com isso, os custos que já são altos ficaram ainda mais elevados.

Ontem foi realizada uma reunião no Sindicato Rural de São Borja, organizado pelo Presidente do Sindicato Rural, Viriato João Jung Vargas, que contou com a participação do Major Élcio Carvalho da Secretaria de Defesa Civil, Luciano Alegre e Pablo Mazzuco, do Irga, Odacir Decol, da Emater, Dejair Tomazzi, da Fepagro e Jones Dalla Porta representando a Associação dos Arrozeiros.

Na ocasião, foi discutida a elaboração de um documento que mostra a situação agropecuária na cidade, que será entregue ao Ministro hoje. O ofício foi elaborado pelo Irga, Emater, Fepagro e Sindicato Rural de São Borja.

Feira do Cordeiro Missioneiro vende mais de 90% dos animais

Na noite de quinta-feira (17) o Guarany Remates, em parceria com o Sindicato Rural de São Borja, promoveu a XIII Feira do Cordeiro Missioneiro, no Parque de Exposições Serafim Dornelles Vargas, em São Borja.

Com a participação de um grande público foram arrematados: 46 bois, 9 capões, 6 borregos, 6 borregas, 116 ovelhas, 11 cordeiras, 6 cordeiros. Totalizando 200 animais de um total de 209, ou seja, 95,7%.

O faturamento chegou a R$ 85.720,00. A Feira do Cordeiro Missioneiro acontece todos os anos.

Feira do Cordeiro Missioneiro acontece nesta quinta-feira

Nesta quinta-feira (17) acontece, em São Borja, a 13ª Feira do Cordeiro Missioneiro, promovido pelo Guarany Remates, a partir das 20h, no Parque de Exposições Serafim Dornelles Vargas.

Serão colocados a disposição cordeiros, capões, ovelhas e carneiros. Além de gados, bois, vacas com cria e vacas de invernar. Informações podem ser obtidas pelo telefone 34316553 ou 96057954.

Expediente

Andres Editora Jornalística Ltda.
Rua General Osório, 2341/Sala 1 - Centro São Borja,RS - 97670-000

Fones: (55)3431-1100 / 3431-2394
Email: [email protected]

assinatura