Chapa do Presidente do Sindicato Rural de São Borja é eleita na Farsul

O atual presidente da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul), Carlos Sperotto, venceu a eleição, que aconteceu na segunda-feira (5) em Porto Alegre, na sede da Federação. Sperotto recebeu 104 votos de um total de 133 sindicatos que participaram do pleito.

João Batista Silveira, candidato da outra chapa, teve 29 votos. A vitória conduz Sperotto ao seu sétimo mandato consecutivo à frente da Farsul e agora é o líder que mais tempo permaneceu no comando da entidade.

Faz parte da nova diretoria administrativa da Farsul, Viriato João Jung Vargas. Atualmente, Vargas é o Presidente do Sindicato Rural de São Borja, junto com o Vice Rodrigo Bauer, que continuam a frente da entidade até 2018.

O novo mandato tem início em 1º de janeiro de 2016 e se estende ao triênio 2016/2017/2018.

Fonte: Assessoria de Imprensa Farsul

Inspetoria aguarda resultado de exame de mormo em equino de São Borja

Cinco fêmeas equinas foram sacrificadas e enterradas, na quinta-feira, em Santo Antônio das Missões, depois da confirmação de mormo. Testes iniciais, feitos em agosto, já indicavam a doença e agora exames de maleína, feitos por técnicos da Secretaria Estadual da Agricultura, confirmaram a doença.

Com esses cinco novos casos, já chega a oito o número de animais identificados com a doença, só este ano, no Rio Grande do Sul. O primeiro foi em Rolante, seguido de Alegrete, Uruguaiana e Santo Antônio das Missões. O chefe da 12ª Supervisão Regional da Secretaria da Agricultura, veterinário Alonso Duarte, informa que ainda é aguardado, do laboratório de Belém, no Pará, o resultado de exame de contraprova, mas o Ministério da Agricultura reconhece como válido os testes da Agricultura Estadual.

A propriedade com as éguas doentes em Santo Antônio das Missões fica na divisa com o município de Garruchos e tem oito equinos. Os três sem confirmação de mormo vão permanecer em quarentena.

Em São Borja também existe um equino com suspeita da doença e que aguarda resultado do exame inicial. Esse animal teve contato com a propriedade de Santo Antônio das Missões.

O veterinário Alcides Koslowski, da Inspetoria de Defesa Agropecuária local, explica que um dos motivos para a demora da chegada do laudo é o grande número de exames a serem analisados em função das futuras Olímpiadas no Rio de Janeiro.

Animais confirmados com mormo serão sacrificados hoje nas Missões

O exame de maleína confirmou cinco casos de Mormo nas Missões. Os animais são de uma propriedade de Santo Antônio das Missões.

Segundo o chefe da 17ª Supervisão Regional da Agricultura, Alonso Duarte, os animais serão sacrificados hoje. Os exames foram realizados em Belém, no Pará. As suspeitas surgiram em agosto, quando os animais ficaram doentes.

O primeiro teste deu positivo, porém um reteste foi realizado para ter a confirmação. Segundo regulamenta o Ministério da Agricultura, o exame de maleína é definitivo. A propriedade está interditada desde as suspeitas.

Ainda conforme Alonso, a fiscalização será intensificada. Ele pede a colaboração da população no sentido de contribuir com a fiscalização.

Primeiro caso de mormo é registrado na Fronteira Oeste

Neste final de semana foi confirmado o primeiro caso de mormo, na Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul. No sábado, um exame de maleína, para detectar a presença da doença em equinos, apresentou resultado positivo em uma égua na cidade de Alegrete.

O animal estava isolado há cerca de dois meses e vai passar por um exame patológico antes de ser sacrificado. A égua pertence a um produtor rural de Alegrete. No Rio Grande do Sul, o risco de contágio do mormo levou pelo menos 118 prefeituras a cancelarem os desfiles farroupilhas em 2015, segundo levantamento divulgado pela Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul, Famurs.

Em São Borja, de acordo com a Inspetoria Veterinária e Zootécnica, ainda são aguardados os resultados dos exames realizados nos animais que tiveram contato com equinos suspeitos em Santo Antônio das Missões.

Segundo o fiscal agropecuário, Rafael Zborowski, nos últimos dias foi realizado um treinamento para a realização do exame através de maleína, processo que vai agilizar os resultados. O mormo é uma doença infecciosa que não tem tratamento e pode atingir equinos e humanos.

Quando infectado, o cavalo precisa ser sacrificado e cremado. A doença é transmitida pelo contato com o material infectante, tanto diretamente com secreções do doente, quanto indiretamente por meio de bebedouros, comedouros ou equipamentos contaminados.

Em humanos, a doença normalmente se manifesta em até 14 dias. A contaminação acontece pelo contato com animais doentes, fômites contaminados, tecidos ou culturas bacterianas em laboratórios.

Os sintomas são febre, lesões com pus, edema de septo nasal, pneumonia e abscessos em diversas partes do corpo. A doença é de difícil tratamento e quase sempre fatal.

Inspetoria aguarda resultado de suspeita de mormo na região

Faltando três dias para o encerramento da Semana Farroupilha os tradicionais desfiles não serão realizados neste ano, em função do mormo. Um caso suspeito da doença, em Santo Antônio das Missões, ainda está sendo investigado.

A inspetoria de Defesa Agropecuária aguarda o laudo e esclarece que o animal está isolado. Em São Borja, os animais em suspeita tiveram material coletado para análise, segundo o médico veterinário Rafael Zborowski, da Inspetoria Veterinária. Ele calcula que dos 7 mil equinos criados no município, cerca de 500 tiveram sangue coletado para exame laboratorial.

Provavelmente, depois da Semana Farroupilha, Prefeitura e Ministério Público vão definir regras sobre a circulação e criação de cavalos e outros animais em áreas urbanas e periferia.

Emater divulga novo balanço da lavoura de trigo em São Borja

A lavoura de trigo, em São Borja, apresenta 60% da área em espigamento e 40% de emborrachamento, de um total de 13,4 mil hectares, segundo o levantamento da Emater.

Os técnicos recomendam atenção ao produtor, devido a eventos de amarelecimento e ferrugem na planta, o que obriga à aplicação de corretivos.

No geral, a situação é considerada normal, mas existe expectativa quanto as eventuais ocorrências de geada em período tardio, o que seria altamente danoso para as etapas finais de desenvolvimento da cultura.

Expediente

Andres Editora Jornalística Ltda.
Rua General Osório, 2341/Sala 1 - Centro São Borja,RS - 97670-000

Fones: (55)3431-1100 / 3431-2394
Email: folhadesaoborja@gmail.com

assinatura