• Guia

Primeiro caso de mormo é registrado na Fronteira Oeste

Neste final de semana foi confirmado o primeiro caso de mormo, na Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul. No sábado, um exame de maleína, para detectar a presença da doença em equinos, apresentou resultado positivo em uma égua na cidade de Alegrete.

O animal estava isolado há cerca de dois meses e vai passar por um exame patológico antes de ser sacrificado. A égua pertence a um produtor rural de Alegrete. No Rio Grande do Sul, o risco de contágio do mormo levou pelo menos 118 prefeituras a cancelarem os desfiles farroupilhas em 2015, segundo levantamento divulgado pela Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul, Famurs.

Em São Borja, de acordo com a Inspetoria Veterinária e Zootécnica, ainda são aguardados os resultados dos exames realizados nos animais que tiveram contato com equinos suspeitos em Santo Antônio das Missões.

Segundo o fiscal agropecuário, Rafael Zborowski, nos últimos dias foi realizado um treinamento para a realização do exame através de maleína, processo que vai agilizar os resultados. O mormo é uma doença infecciosa que não tem tratamento e pode atingir equinos e humanos.

Quando infectado, o cavalo precisa ser sacrificado e cremado. A doença é transmitida pelo contato com o material infectante, tanto diretamente com secreções do doente, quanto indiretamente por meio de bebedouros, comedouros ou equipamentos contaminados.

Em humanos, a doença normalmente se manifesta em até 14 dias. A contaminação acontece pelo contato com animais doentes, fômites contaminados, tecidos ou culturas bacterianas em laboratórios.

Os sintomas são febre, lesões com pus, edema de septo nasal, pneumonia e abscessos em diversas partes do corpo. A doença é de difícil tratamento e quase sempre fatal.

Inspetoria aguarda resultado de suspeita de mormo na região

Faltando três dias para o encerramento da Semana Farroupilha os tradicionais desfiles não serão realizados neste ano, em função do mormo. Um caso suspeito da doença, em Santo Antônio das Missões, ainda está sendo investigado.

A inspetoria de Defesa Agropecuária aguarda o laudo e esclarece que o animal está isolado. Em São Borja, os animais em suspeita tiveram material coletado para análise, segundo o médico veterinário Rafael Zborowski, da Inspetoria Veterinária. Ele calcula que dos 7 mil equinos criados no município, cerca de 500 tiveram sangue coletado para exame laboratorial.

Provavelmente, depois da Semana Farroupilha, Prefeitura e Ministério Público vão definir regras sobre a circulação e criação de cavalos e outros animais em áreas urbanas e periferia.

Emater divulga novo balanço da lavoura de trigo em São Borja

A lavoura de trigo, em São Borja, apresenta 60% da área em espigamento e 40% de emborrachamento, de um total de 13,4 mil hectares, segundo o levantamento da Emater.

Os técnicos recomendam atenção ao produtor, devido a eventos de amarelecimento e ferrugem na planta, o que obriga à aplicação de corretivos.

No geral, a situação é considerada normal, mas existe expectativa quanto as eventuais ocorrências de geada em período tardio, o que seria altamente danoso para as etapas finais de desenvolvimento da cultura.

Caso de mormo é descartado na Fronteira Oeste

Na segunda-feira (24) a Santa Casa de Santana do Livramento descartou a possibilidade de um jovem ter contraído a doença do mormo. A divulgação foi feita depois que o resultado do exame deu negativo.

O rapaz, que trabalha na Zona Rural, tem 19 anos e está em estado gravíssimo na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital. Ele foi internado no último dia (17) depois de sofrer uma intoxicação por um pesticida.

De acordo com a direção da Santa Casa, os sintomas que ele apresentava eram semelhantes à doença do mormo, que provoca problemas respiratórios nos equinos e pode ser transferido aos seres humanos, podendo levar a morte.

Caso em Santo Antônio das Missões

Na última semana um caso suspeito de mormo foi registrado em Santo Antônio das Missões. O local foi interditado e amostras foram coletadas.

O resultado positivo do exame foi enviado para um laboratório em Pernambuco para a contraprova. Segundo a Inspetoria de Defesa Agropecuária de São Borja, não há previsão para que o exame seja divulgado.

Animais de São Borja irão participar da Expointer 2015

A Expointer é considerada a maior feira a céu aberto da América Latina. Neste ano ela acontece de 29 de agosto a 06 de setembro, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio. Como em anos anteriores, animais de várias cabanhas de São Borja irão participar do evento.

Segundo a Inspetoria de Defesa Agropecuária de São Borja, o número de participantes poderia ser maior, mas as exigências deste ano podem ter prejudicado, isso porque antes era a inspetoria que visitava a propriedade e vacinava os animais, agora, o proprietário precisa de um veterinário particular, que possua registro e forneça um atestado de sanidade e de isenção em todos os tipos de doenças, principalmente, as consideradas contagiosas.

Mesmo assim houve um aumento e neste ano são 13 animais a mais do que em 2014, quando 24 participaram da Expointer.

Nesta edição são 36 bovinos e um ovino, sendo:
- Quatro fêmeas da raça Devon.

- Quatorze bovinos da raça Aberdeen Angus

– Doze fêmeas e dois machos.

- Onze bovinos da raça Brangus – três machos e oito fêmeas.

- Um macho ovino da raça Hampshire Down.

- Sete bovinos da raça Braford – quatro machos e três fêmeas.

Pontilhões no interior do município serão recuperados

Uma parceria entre o Exército brasileiro e o governo do Estado vai solucionar um problema que já existe há mais de três anos, na ERS 541, em São Borja.

Equipe de militares da Coudelaria de Rincão, localizado na região, vão recuperar quatro pontes ou pontilhões que ruíram na estrada, com acompanhamento técnico do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem.

O Exército fica responsável pela mão de obra e materiais para a recuperação das pontes e ao Daer cabe à parte técnica e de maquinário. As obras foram prejudicadas, na última semana, em função das chuvas, mas já começaram e vão se estender ao longo dos próximos meses.

Trechos contemplados

No arroio Piauí a ponte principal e dois pontilhões auxiliares serão recuperados, após será realizado o conserto da ponte sobre a chamada Sanga Funda.

A ERS 541, denominada Rodovia Mário Roque Weis, serve de ligação entre São Borja e Itacurubi, unindo as regiões de Nhu-Porã e Coudelaria de Rincão, onde se localiza a unidade do Exército.

Ao confirmar a parceria para a recuperação das pontes, o secretário estadual dos Transportes, Pedro Westphalen, prometeu solução também em relação ao serviço de linhas de ônibus na região. Há algumas semanas, deixaram de funcionar as linhas de São Borja a Itacurubi e Garruchos.

Expediente

Andres Editora Jornalística Ltda.
Rua General Osório, 2341/Sala 1 - Centro São Borja,RS - 97670-000

Fones: (55)3431-1100 / 3431-2394
Email: [email protected]

assinatura