• Guia

Seminário do Arroz Irrigado será realizado em São Borja

Estão sendo realizados os preparativos finais no Parque de Exposições Serafim Dornelles Vargas, para o 1° Seminário do Arroz Irrigado de São Borja, que vai acontecer nesta quarta e quinta-feira. Organizam o evento a unidade local do Irga, a Associação Comercial e Industrial e o Sindicato Rural.

Sustentabilidade é o foco central do evento, com ênfase para ações mais racionais de gestão e utilização racional dos recursos à disposição da orizicultura.

A avaliação de técnicos é de que o momento é de apreensão e incerteza para a orizicultura, mas a superação das dificuldades passa, necessariamente, por melhor qualidade de gestão.

Ao longo do seminário, são previstas 12 palestras e debates e ainda relato de algumas experiências bem sucedidas no manejo adequado da lavoura sob todos os aspectos.

Inspetoria Veterinária recebe orientações sobre nova doença em equinos

Na última semana foi confirmado o primeiro caso de Mormo no Rio Grande do Sul. A doença debilita o animal, causando alterações respiratórias e provocando febre, podendo levar à morte.

Segundo normas do Ministério da Agricultura, quando a doença é confirmada, o exame de mormo passa a ser exigido para a emissão da Guia de Trânsito Animal.

Em São Borja, a Inspetoria de Vigilância Sanitária já recebeu orientações da Secretaria Estadual da Agricultura. As fiscalizações estão sendo ampliadas e segundo o Fiscal Agropecuário, Rafael Zborowski, todos os criadores precisam estar com os documentos de Anemia e Mormo em dia, para o transporte dos animais.

Até o momento, não existem suspeitas da doença em outros pontos do estado, mas Zborowski reforça que é importante a prevenção. Criadores que transportarem animais sem os documentos estão sujeitos à multa e apreensão dos animais, até a atualização da documentação.

Como não existe laboratório que faça a análise no Estado, o tempo entre a coleta de amostra e o resultado pode chegar a até cinco dias.

Atualmente, os laboratórios que recebem amostras estão localizados em São Paulo e Brasília.

Colheita da soja está quase concluída

Mesmo com alguns registros de chuvas nos últimos dias, a colheita de soja avançou bastante em São Borja. Produtividade é considerada bastante positiva.

Segundo o balanço mais recente da Emater, no início da semana, já estavam colhidos 70% do trigo na região. Neste ano foram plantados 55 mil hectares no município. A produtividade média se mantém na faixa de 45 sacos por hectare, uma das maiores dos últimos anos, segundo destaca o técnico Clóvis Scwengberg.

Para os próximos dias, mesmo com a previsão de tempo firme, o ritmo da colheita deve diminuir, pois as áreas plantadas mais no tarde também retardam a maduração e, com isso, a operação ainda se estenderá até o início de maio.

IRGA divulga balanço da lavoura de arroz

O Instituto Riograndense do Arroz divulgou nessa semana um novo balanço da colheita do arroz na região. Avaliações até o momento são consideradas positivas.

Até o último fim de semana estavam colhidos em São Borja 61,3% da lavoura de arroz. Com isso, ainda faltam colher oito mil, dos 45.600 hectares no município.

Está sendo mantida uma produtividade média de 7.000 quilos por hectare. Conforme o agrônomo do IRGA, Pablo Mazzuco de Souza, isso representa 12% abaixo dos oito mil quilos previstos.

No próximo fim de semana um novo balanço será divulgado pelo instituto.

Conab faz projeções para colheita da soja

Março começa com grande expectativa no setor rural do Rio Grande do Sul. Isso porque neste mês começa a colheita da soja, com projeções bastante positivas para os produtores.

Segundo o último levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a produção deverá chegar a 14,15 milhões de toneladas. Apesar de ainda existir cautela em relação ao cenário econômico, a entidade faz projeções positivas e espera que esta seja a safra mais uniforme dos últimos tempos.

Hoje a cotação do grão é de R$ 65,00 em média a saca. Apesar da queda, se comparado com o ano passado, o preço ainda continua acima da média projetada pela entidade.

Greve dos caminheiros pode impactar na colheita do arroz

Produtores já enfrentam alguns problemas relacionados à greve dos caminhoneiros para o escoamento da safra de arroz em São Borja. Apesar disso, colheita continua sendo realizada.

Os fretes que precisam utilizar trechos onde estão acontecendo às mobilizações, na maioria das vezes, acabam sendo atrasados, o que pode causar a perda do grão. Segundo o técnico do Instituto Riograndense do Arroz, Luciano Alegre, o arroz precisa ser secado no prazo máximo de 24hs após ser colhido.

Apesar disso, o IRGA afirma que até o momento não foram perdidas cargas do grão na cidade. O presidente do Sindicato Rural de São Borja, Viriato Vargas, afirma que às mobilizações causam transtornos aos produtores, mas que a categoria está prestando apoio aos caminhoneiros: "Questões como o óleo diesel também causam impacto ao produtor, por isso somos solidários a causa".

Novas manifestações continuam sendo realizadas em todo o país nesta quinta-feira (26).

Expediente

Andres Editora Jornalística Ltda.
Rua General Osório, 2341/Sala 1 - Centro São Borja,RS - 97670-000

Fones: (55)3431-1100 / 3431-2394
Email: [email protected]

assinatura