STF reduz pena de Lula

Na terça-feira, dia 23, a Quinta Turma do Supremo Tribunal Federal reduziu através de votação unanime a sentença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sendo agora de 10 anos, 8 meses e 20 dias, pelo caso tríplex.

 

O recurso havia sido apresentado por Cristiano Zanin, advogado de defesa de Lula, na intenção de anular a condenação de Lula. A decisão foi tomada através dos votos de Félix Fischer, Jorge Mussi, Reynaldo Soares e Ribeiro Dantas. Sendo agora, necessária a decisão da juíza Carolina Lebbos, sobre a aprovação da progressão de regime ou não.

 

O petista inicialmente foi sentenciado a uma pena de 9 anos e seis meses, recebida pelo Juiz Sérgio Moro. Em seguida, foi aumentada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região para 12 anos e um mês de prisão, sendo 9 anos e seis meses por crime de corrupção e 3 anos e 9 meses por lavagem de dinheiro. Lula está preso desde o mês de abril de 2018.

Fonte: O Sul

Por: Cristiano Ritzel

Revisão biométrica é obrigatória em São Borja

A partir desta segunda-feira, dia 11 de março, a Revisão Biométrica é obrigatória no município, e o eleitor tem até 11 de março de 2020 para tomar esta providência, senão ficará impedido de votar nas eleições municipais do próximo ano.

De acordo com o Cartório da 47ª Zona Eleitoral, dos cerca de 48.500 eleitores inscritos em São Borja cerca de 80% ainda não fizeram a Revisão Biométrica. A determinação obrigatória foi publicada em fevereiro pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE/RS).

Para fazer a biometria o eleitor deve comparecer ao cartório, que fica na rua General Marques, em frente ao Parcão, das 12 às 19 horas, de segunda à sexta-feira, munidos dos principais documentos como identidade, CNH, ou certidão de nascimento ou casamento, o próprio título e um comprovante de residência. 

O eleitor ainda tem a opção de agendar a ida ao Cartório Eleitoral através do site www.tre-rs.jus.br, na aba “Eleitor e Eleições - Agendamento de Atendimento”. O atendimento agendado tem preferência sobre o balcão. Para mais informações ligue 3430-3772.

Prefeito busca recursos em Brasília para obras de saneamento e pavimentação

Nesta terça e quarta-feira, o prefeito Eduardo Bonotto esteve em Brasília para encaminhar liberação de recursos federais para duas importantes áreas de investimento na cidade, melhorias em saneamento básico e novas obras de pavimentação.

Na quarta-feira, na Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil, Bonotto obteve a informação de que, em algumas semanas, será liberada verba de R$ 500 mil. Os recursos resultam de emenda parlamentar do deputado Luis Carlos Heinze e serão aplicados em novas obras de drenagem e correção de esgoto pluvial.

No Ministério das Cidades, as gestões encaminhadas envolvem a liberação de verba na ordem de R$ 5 milhões, para obras de pavimentação de ruas. A orientação é que se fazem necessários ajustes e encaminhamentos de projetos complementares, para que ocorra a liberação do dinheiro.

Fonte: Decom/Prefeitura

Jair Bolsonaro é eleito presidente da República

Jair Messias Bolsonaro, do PSL, foi eleito o 38º presidente da República neste domingo dia 28 de outubro, ao derrotar em segundo turno o petista Fernando Haddad, interrompendo um ciclo de vitórias do PT que vinha desde 2002.

Bolsonaro recebeu 57.797.073 votos (55,13%) e Haddad, 47.039.291 (44,87%). Após quatro vitórias consecutivas do PT em eleições presidenciais (2002, 2006, 2010 e 2014), o novo presidente eleito se apresenta como um político de direita.

Aos 63 anos, capitão reformado do Exército, deputado federal desde 1991 e dono de uma extensa lista de declarações polêmicas, Jair Bolsonaro materializou em votos o apoio que cultivou e ampliou a partir das redes sociais e em viagens pelo Brasil para obter o mandato de presidente de 2019 a 2022.

Vitorioso na primeira vez em que se candidatou a presidente, Bolsonaro sucederá Michel Temer (MDB), vice de Dilma Rousseff (PT) que assumiu o governo em 2016 devido ao impeachment da petista.

EM SÃO BORJA

Fernando Haddad (PT), 16.441 votos (50,07%)

Jair Bolsonaro (PSL), 16.398 votos (49,93%)

48.489 eleitores

Votantes 72,44%

Ausentes 27,56%

Brancos 795 (2,26%)

Nulos 1.494 (4,25%)

Válidos 32.839 (93,48%)

Fonte: G1 e Placar Eleições

 

Eduardo Leite é eleito governador do RS

Eduardo Leite, do PSDB, é o novo governador do Rio Grande do Sul. O candidato foi eleito neste domingo, dia 28 de outubro, para governar o estado nos próximos quatro anos. O tucano teve 3.128.317 votos, o que corresponde a 53,62% dos votos válidos, contra 46,38% de José Ivo Sartori (MDB), que recebeu 2.705.601 votos.

Votos brancos (4,41%) e nulos (9,48%) somaram 940.951. Houve ainda 1.576.087 abstenções (18,87%). Somados brancos, nulos e abstenções, chega-se a 2.517.038 votos. Os dois candidatos juntos receberam 5.833.918 votos.

Leite foi vereador em 2008, chegando a ocupar a presidência da Câmara em 2011. Também foi secretário municipal de Cidadania no governo Bernardo de Souza e chefe de gabinete do ex-prefeito Adolfo Antônio Fetter Júnior. Em 2012, aos 27 anos, foi eleito prefeito de Pelotas, cargo que ocupou entre 2013 e 2016. Em novembro de 2017, assumiu a presidência estadual do PSDB gaúcho.

Aos 33 anos, o advogado e ex-prefeito de Pelotas torna-se o governador mais jovem do Brasil. Anunciando segurança pública como prioridade, o tucano tem como vice o delegado Ranolfo Vieira Júnior (PTB).

EM SÃO BORJA

Eduardo Leite (PSDB), 19.388 votos (62,50%)

José Ivo Sartori (MDB), 11.634 votos (37,50%)

48.489 eleitores 

Votantes 72,44%

Ausentes 27,56%

Brancos 1.491 (4,24%)

Nulos 2.613 (7,44%)

Válidos 31.022 (88,32%)

Fonte: G1 e Placar Eleições

 

Bolsonaro e Haddad decidirão eleição para presidente no segundo turno

Os candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) decidirão no segundo turno, dia 28 de outubro, quem será o presidente do Brasil pelos próximos quatro anos.

Eles disputam a Presidência pela primeira vez, Bolsonaro obteve 49.275.358 votos (46,03%), e Haddad 31.341.839 votos (29,28%).

O resultado do primeiro turno quebrou a polarização entre PT e PSDB na eleição presidencial. Nas últimas seis eleições, os dois primeiros colocados foram dos dois partidos, com duas vitórias do PSDB (1994 e 1998) e quatro do PT (2002, 2006, 2010 e 2014).

Após a confirmação do resultado, Bolsonaro afirmou que o Brasil não pode “dar mais um passo à esquerda” porque, segundo ele, está “à beira do caos”. Ele falou em “unir o nosso povo, unir os cacos que nos fez o governo da esquerda no passado”.

Já Haddad se referiu à necessidade de união. “Queremos unir as pessoas que têm atenção aos mais pobres desse país tão desigual”, declarou. O presidenciável do PT disse que, para isso, contará com “uma única arma: o argumento”.

Fonte: Folha Uol

Expediente

Andres Editora Jornalística Ltda.
Rua Riachuelo, 928 - Centro São Borja,RS - 97670-000
Fones: (55)3431-1100 / 3431-2394
Email: folhadesaoborja@gmail.com

assinatura